Um Projeto Europeu I CERCIGUI

IdICT é um projeto de dois anos, com instituições de seis países europeus, financiado com o apoio da Comissão Europeia. Tem como principal objetivo aumentar as competências das Pessoas com Deficiência Intelectual (PDI), das suas famílias e dos profissionais que trabalham com elas, tirando proveito das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), com uma abordagem ao Modelo de Qualidade de Vida. O Consórcio do projecto inclui 5 entidades que trabalham na área da Deficiência Intelectual (COPAVA - Espanha, HURT - Croácia, CUDV DRAGA - Eslovénia, CERCIGUI - Portugal e CSS - Itália), envolvendo um grande número de pessoas, famílias e profissionais e dois Centros Tecnológicos (IBV - Espanha e IAT - Alemanha), especializados no desenvolvimento de soluções de TIC adaptadas às pessoas com necessidades especiais e PDI.

    Ler Mais ...


No dia 4 de janeiro partilhamos juntos a alegria da concretização de mais um sonho em realidade. Com a presença dos clientes, pais e colaboradores e com a benção do Pe. Silvino inauguramos o novo espaço requalificado

As fotos do antes e depois não deixam dúvidas quanto à dignidade espacial e de conforto criadas.

Fica o agradecimento a todos os que colaboraram para que esta realidade fosse possível. Continuaremos em 2016 com este grande projeto e com a angariação de mecenas sociais que permitam a reabilitação dos outros espaços do edifício.

Um dos grandes objetivos da CERCIGUI para 2015 foi a angariação de mecenas sociais para a reabilitação de alguns espaços do Centro de Atividades Ocupacionais do edifício sede, na Rua Raúl Brandão. Aqui localiza-se um edifício já muito datado e sem qualquer intervenção de melhoria nos últimos anos. Esta iniciativa foi apresentada à comunidade no Jantar Solidário Todos pela CERCIGUI realizado no MIT Penha no dia 20 de março.

A primeira intervenção foi na Sala de Convívio/Polivalente onde acontecem os momentos de lazer de todos os clientes que fazem parte dessa Resposta Social. O Arquitecto Nuno Capela foi o responsável pelo projeto de arquitectura e de forma solidária foi o primeiro a abraçar a iniciativa. A alteração previu o revestimento de piso e de tecto, iluminação, mobiliário, decoração e infraestruturas técnicas.